sábado, 29 de novembro de 2014

EDITORIAL: A ARMADILHA DO CRÉDITO



Atraídas pela oferta de crédito fácil, dezenas de milhares de famílias entraram na armadilha do endividamento e da inadimplência, quase sempre sem ter uma ideia clara de como chegaram a esse ponto. Recentemente, em quatro dias, 60 mil endividados foram ao Memorial da América Latina, em São Paulo, para um mutirão de renegociação. Até o final do período do período desse tipo de transação comercia, 35 mil haviam conseguido renegociar suas dívidas. Mutirões desse tipo ocorreram nos últimos 7 meses em 15 cidades de 7 Estados. Cerca de 50 mil dívidas foram reescalonadas. Esse drama é um dos subprodutos de uma política de crescimento baseada em grande parte no estímulo ao consumo por meio da expansão dos empréstimos e da redução dos juros. A partir da crise de 2008 essa estratégia foi reforçada com redução temporária de impostos para compras de veículos e de outros bens duráveis. O incentivo fiscal teria produzido resultados muito menos sensíveis sem a expansão dos empréstimos e a indução ao endividamento.
A ampliação do crédito facilitou o ingresso de milhões de pessoas - a chamada nova classe C - no mercado de consumo. Esse movimento elevou o padrão de vida desses brasileiros, mas a maior parte desses consumidores nunca foi preparada para usar com prudência os novos instrumentos financeiros colocados a seu alcance. Limites de endividamento foram ignorados por tomadores e fornecedores de empréstimos. Clientes recém-chegados ao mundo dos serviços bancários perderam-se no uso do cheque especial e do cartão de crédito e afundaram no atoleiro dos juros mais escorchantes do mercado. Mesmo na classe média tradicional muita gente entrou na festa do endividamento sem calcular as consequências. Uma dessas pessoas, uma professora citada em reportagem do Estado, acumulou compromissos de R$ 120 mil, muito acima de sua capacidade financeira, e foi aconselhada, no mutirão, a declarar insolvência civil.
Enquanto estimulava o consumo com uma política monetária frouxa e pressões para redução dos juros, o governo procurou estimular o investimento em habitações, por meio do programa Minha Casa, Minha Vida. A participação do crédito habitacional no total dos empréstimos tem crescido. Chegou a 24,6% em outubro, ainda abaixo do crédito pessoal (25,9%), e deve continuar em expansão. No fim do próximo ano, será provavelmente o item mais importante da carteira geral de crédito, segundo projeção da Serasa Experian. O panorama dos financiamentos ficará mais parecido com o dos países desenvolvidos. Mas a formação de uma bolha imobiliária parecida com a dos países avançados é um risco remoto, segundo especialistas.
A mensagem seria mais tranquilizadora se as condições atuais do mercado de crédito fossem mais saudáveis. A expansão do financiamento imobiliário ocorre num universo de consumidores já muito endividados. Segundo o Banco Central, as famílias já comprometeram com dívidas 44,4% de sua renda anual. Indicadores de inadimplência melhoraram nos últimos doze meses, mas o quadro continua preocupante. De janeiro a outubro do ano passado, o saldo de novos inadimplentes no cadastro da Serasa Experian foi de 5,9 milhões. Neste ano, o saldo ficou em 5,5 milhões, um número ainda muito alto. Metade dos devedores pertence a famílias com renda entre R$ 1.376 e R$ 3.825 - de 2,2 a 6,1 salários mínimos.
O crédito concedido ao setor privado - pessoas e empresas - correspondeu em outubro a 51,9% do Produto Interno Bruto (PIB). Essa proporção é menor que a encontrada em muitos outros países, tanto desenvolvidos quanto em desenvolvimento. O ponto que mais preocupa é outro: a relação entre crédito e PIB dobrou em dez anos, isto é, avançou muito mais rapidamente do que na maior parte do mundo. Como os financiamentos foram dirigidos muito mais ao consumo do que ao investimento produtivo, a política de crédito tem sido um importante fator inflacionário. Neste ano e em 2013, mesmo com um crescimento econômico pífio, o Brasil enfrentou taxas de inflação bem superiores às de economias muito mais prósperas. Também isso comprova a urgência de buscar uma nova estratégia de crescimento.

Aéreas se preparam para iniciar operação de fim de ano



Na próxima semana, as companhias Avianca, Azul, GOL e TAM darão início a operação especial de fim de ano no transporte aéreo. O objetivo da iniciativa é facilitar o embarque e desembarque nos aeroportos do País até o mês de fevereiro de 2015, no período de alta temporada.
A expectativa da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (Abear) é que a movimentação seja intensa nos dias que antecedem o Natal e Ano Novo.
As companhias irão adotar procedimentos como antecipação da manutenção programada das aeronaves; disponibilização de aviões reserva; oferta de vôos extras, principalmente para cidades de grande conectividade; programação das escalas de férias e folgas para garantir maior efetivo de tripulantes e remanejamento das equipes de agentes de aeroportos para terminais de maior demanda.
Além das medidas preventivas, as companhias reforçaram os procedimentos para situações emergenciais. Para isso, firmaram acordos operacionais com empresas congêneres para reacomodação, além de parcerias com restaurantes e hotéis em caso de impossibilidade de embarque, como estabelecem o Código Brasileiro de Aeronáutica e a Resolução 141, da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac).
Para os passageiros que utilizarão o transporte aéreo nas saídas das festas de final do ano, a Abear tem orientações simples, mas que são fundamentais para agilizar o embarque: passageiros de vôos nacionais devem chegar com, no mínimo, uma hora de antecedência, para os que vão para o exterior, o ideal é que estejam no aeroporto três horas antes do embarque.
Os terminais de autoatendimento são a melhor opção para realização do check-in; para a bagagem de mão, o cliente deve utilizar uma mala pequena e que não ultrapasse o limite de peso de 5 kg; e para evitar filas no raio-x, é recomendado que o usuário não utilize objetos metálicos, como relógios, cintos, pulseiras e sapatos com saltos metalizados, entre outros.

Rua da Beira em Porto Velho tem mais um trecho asfaltado



Na manhã dessa sexta-feira (28) o Departamento de Estradas de Rodagem e Transportes (DER) concluiu mais um trecho de asfaltamento na Rua da Beira, margens da BR-364, em Porto Velho. O trecho que recebeu pavimentação é na margem direita (sentido Porto Velho Candeias), da avenida Jatuarana sentido à rua Pau Ferro.
Coordenador dos trabalhos na Rua da Beira, Ozeas Oliveira afirma que restam apenas 200 metros de asfalto (em frente ao Sest Senat) para que o governo estadual conclua os trabalhos que têm sob sua responsabilidade na Rua da Beira.
Ozeas afirma que o governo não tem medido esforços para concluir o asfalto no perímetro autorizado pelo Dnit. “Apensar das chuvas, já concluímos 100% da drenagem e estamos fazendo asfalto mesmo num período atípico para este tipo de obra. As máquinas não param. Sempre que há possiblidade os servidores trabalham”, afirma.
O coordenador garante que a conclusão do asfalto na Rua da Beira é uma das prioridades do governador Confúcio Moura. “Se a obra não está pronta é porque as condições climáticas não permitiram. Assim que houve possibidade vamos asfaltar os 200 metros que restam da nossa responsabilidade, no trecho que passa em frente ao Sest Senat”, assegura.

Agevisa divulga boletim de controle da dengue em Rondônia



A Agência Estadual de Vigilância em Saúde, com a contribuição das Secretarias de Saúde dos diversos municípios do Estado, divulga o Boletim de Resposta Coordenada no Monitoramento da Dengue referente as semanas epidemiológicas de 01(29/12/2013) a 46(15/11/2014). O instrumento visa apresentar o panorama da doença no período analisado, a fim de servir como instrumento de auxílio para a elaboração de estratégias, ações e interlocuções entre as equipes técnicas.
Até a semana 46 de 2014, o Programa Estadual de Controle da Dengue e Chikungunya registrou um total de 4.258 casos suspeitos de dengue, conforme dados do SINAN ONLINE, contra 12.791 casos registrados no ano de 2013, representando uma redução da ordem de 66,71% no total de casos notificados no período.

Conta de luz pode aumentar se Brasil descumprir Convenção de Estocolmo



A Associação Brasileira de Distribuidores de Energia Elétrica (Abradee) estima que o setor precisará investir R$ 25 bilhões para cumprir, até 2028, parte dos compromissos assumidos pelo Brasil na Convenção de Estocolmo. O tratado, firmado em 2004 e ampliado em 2010, tem por objetivo proibir produção e uso dos chamados Poluentes Orgânicos Persistentes (POPs). São 21 substâncias químicas que, além da afinidade com tecidos gordurosos, têm facilidades para se acumular e se espalhar pelo meio ambiente.
Entre esses poluentes, o askarel – óleo resistente ao fogo – é bastante usado para condução de energia elétrica em transformadores, capacitores, reatores, interruptores e cabos elétricos. Em contato com pessoas, o produto pode causar males como câncer, além de problemas em diversos órgãos. Se descartado de forma inadequada, pode contaminar o meio ambiente, em especial o solo, lençóis freáticos e a vegetação.
“Em alta temperatura, o askarel libera um vapor bastante tóxico”, acrescentou Shelley Carneiro, gerente executivo de Meio Ambiente e Sustentabilidade da Confederação Nacional da Indústria (CNI). Esclareceu que o risco de contaminação ocorre apenas quando a quantidade é superior a 50 miligramas por quilo de equipamentos, limite previsto pela Convenção de Estocolmo.
De acordo com Carlos Alberto Mattar, superintendente de Regulação da Distribuição da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), é possível que os custos para retirada de circulação do askarel sejam repassados aos consumidores, caso o governo não encontre outra solução.
Com base em estudos da Abradee, que, em 2012, contabilizava custo de R$ 13 bilhões para o setor apenas com logística, aferição, tratamento e descarte do askarel, Mattar projeta impacto de 44% na receita anual das distribuidoras. “Se [os gastos] fossem pagos de uma vez, provavelmente resultariam em aumento de 44% nas tarifas de energia pagas pelos consumidores”, adiantou.
“O problema é que os valores aumentaram. Só para distribuição, prevemos a necessidade de aporte de R$ 25 bilhões. Serão pelo menos 3,8 milhões de transformadores descartados, excluídos cabos e capacitores”, ressaltou Daniel Mendonça, diretor de Relações Institucionais da Abradee. Para ter uma ideia mais próxima do número de equipamentos e da quantidade de askarel contida neles, a associação desenvolve pesquisas com associados, em parceria com o Ministério do Meio Ambiente.
Segundo Mattar, há pelo menos 3,3 milhões de litros de askarel que precisarão ser retirados de circulação. “Deste total, 83% estão nos equipamentos das distribuidoras. São aproximadamente 8,1 milhões de máquinas com algum nível de contaminação. Para que a descontaminação seja feita, é necessário definirmos o cronograma para uma política industrial”, observou o superintendente da Aneel.
Os problemas não param por aí. “Também encontraremos dificuldades na logística para levar o material para identificação de quais equipamentos têm contaminação acima dos limites permitidos”, informou o presidente da Associação Brasileira de Companhias de Energia Elétrica (ABCE), Alexei Vivan, que também preside o Fórum de Meio Ambiente do Setor Elétrico (Fmase).
Diretora de Qualidade Ambiental do Ministério do Meio Ambiente, Letícia Carvalho disse que o desafio é encontrar tecnologias alternativas à incineração, método mais adotado para o descarte do askarel. “O Brasil conta com apenas oito ou nove incineradoras. A definição sobre a melhor forma de descarte tem sido discutida desde os anos 80. Mesmo assim, não há consenso sobre o assunto”, informou.
Segundo Letícia, os valores de custos estimados pela Abradee para cumprimento das metas definidas pela Convenção de Estocolmo “ainda são iniciais e imprevisíveis, mas dão dimensão ao desafio que temos no país para implementar o acordo”, acrescentou.
“Nosso ponto mais fraco está relacionado à saúde dos trabalhadores que manuseiam equipamentos do setor elétrico. Também temos preocupação em sensibilizar setores com menos conhecimento sobre o problema”. assinalou Letícia, referindo-se a empresas de manutenção de equipamentos e ambientes coletivos como escolas, shoppings, aeroportos e portos.

Gestores escolares devem enviar prestação de contas até 16 de janeiro



O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) habilitou no Sistema de Gestão de Prestação de Contas (SiGPC Contas Online), no dia 17 de novembro, a funcionalidade “enviar” para as prestações de contas das transferências voluntárias liberadas para registro em 11 de novembro.
Com isso, os gestores responsáveis por essas prestações de contas têm até 60 dias para encaminhar as informações ao FNDE por meio do sistema, conforme dispõe o § 3º-A do art. 2º da Resolução CD/FNDE nº. 2/2012.
O sistema eletrônico é o instrumento por meio do qual os entes federativos prestam contas dos recursos recebidos do FNDE referentes a vários programas, como os de alimentação escolar e de transporte escolar.
Agora o SiGPC também está aberto para receber informações sobre a execução dos recursos dessas transferências voluntárias.

Semusb realiza grande mutirão de limpeza no Bairro Cohab e no Trevo do Roque



A Secretaria Municipal de Serviços Básicos (Semusb) ampliou sua frente de trabalhos. Equipes de mutirões estão atuando em diversas regiões da cidade. Os trabalhos mais intensos, ao longo desta semana, têm ocorrido nos Bairros Cohab, Esperança da Comunidade e no Trevo do Roque.
Os trabalhos de limpeza no Bairro Cohab estão se encerrando nessa sexta-feira (28). Todas as ruas foram atendidas com roçagens, raspagens e remoção de entulhos. “Esse trabalho é mais manual, por isso estamos aqui com uma equipe de quase quarenta pessoas. Além das ruas, também limpamos as praças”, informou Itamar Ribeiro, secretário adjunto da Semusb.
Para Raimundo dos Reis, morador de longa data do Bairro Cohab, na Rua São Miguel, os serviços da Semusb chegaram em bom momento. “Eles rasparam todas as beiradas das ruas. Havia muita terra e sujeira. Amontoaram tudo e as caçambas saíram levando. Esta rua estava precisando mesmo desse serviço. Eu acabei me indispondo com alguns moradores que estavam jogando lixo pelas calçadas e pelas ruas. Se a pessoa precisa se desfazer de aterro ou materiais de construção a gente até entende, mas lixo doméstico não. Agora, com o serviço da Prefeitura, a rua voltou a ficar limpa. Espero que os moradores zelem pela limpeza. Se eu moro aqui, é minha obrigação manter limpo ao menos a frente da minha casa”, disse Reis.
No Bairro Esperança da Comunidade os serviços são de natureza diferente aos realizados no Bairro Cohab. A Semusb está preparando o local e as proximidades de onde serão desenvolvidas as atividades relativas ao evento Dia do Bem. “Neste ano, o espaço onde foi realizada a festa Flor do Maracujá, no quadrilátero das ruas José Vieira Caúla, Mamoré, Sheila Regina e Assis Chateaubriand, no bairro Esperança da Comunidade, vai abrigar o evento Dia do Bem. Assim, enviamos para lá uma de nossas equipes que está atuando fortemente com limpeza de toda aquela área”, esclareceu Ribeiro.
No Trevo do Roque acontece outra das principais atividades desta semana. Toda a entrada da cidade, tanto no sentido Porto Velho - Ariquemes como Porto Velho - Rio Branco está sendo limpa. A primeira parte dos trabalhos, referente à saída para Ariquemes, deverá estar pronta até sábado (29). Na próxima semana serão iniciados os trabalhos referentes à saída para Rio Branco. “Toda a entrada da cidade ficará limpa. O que houver de mato e lixo será totalmente removido”, afirmou o secretário, esclarecendo também que recentemente outros serviços já haviam sido feitos naquela região, mais especificamente na Rua da Beira. “Nós fizemos a parte da limpeza da Rua da Beira e a Semob realizou as ações de desobstrução dos locais intrafegáveis e encascalhou outras partes. Mas além dessas ações, há várias outras equipes da Semusb trabalhando em diferentes partes da cidade”, destacou o secretário. 

Justiça Federal leva Juizado Itinerante para região do Baixo-Madeira



A bordo do barco “Deus é amor II”, as equipes da Justiça Rápida da Justiça Estadual e do Juizado Itinerante da Justiça Federal partiram às 14h desta sexta-feira, 28/11, do porto de passageiro do Cai N’água com destino à região do Baixo-Madeira, onde acontecerão os trabalhos jurisdicionais em fase de audiência de instrução e julgamento. O Juizado Especial Federal Itinerante será realizado no período de 28 novembro a 07 de dezembro, em parceira com a Operação Justiça Rápida – OJR, do Tribunal de Justiça do Estado de Rondônia, nas comunidades de Demarcação, Calama, Papagaios, Conceição do Galera, Santa Catarina, Tira Fogo, Nazaré, Terra Caída e São Carlos.
A embarcação descerá o rio Madeira com a equipe da Justiça Federal, composta por três juízes federais, treze servidores e um perito médico, para realizar o julgamento de aproximadamente 500 processos, sendo que os julgamentos ocorrerão dentro da própria embarcação. A coordenação geral é do juiz federal Dimis da Costa Braga, do Juizado Especial Federal da 6ª vara e Coordenador do JEF/RO. Homens do Exército, Polícia Militar e Corpo de Bombeiro fazem a segurança dos serventuários da justiça.
Participarão ainda do JEFIT Baixo-Madeira três Procuradores Federais junto ao Instituto Nacional do Seguro Social - /INSS, três Defensores Públicos Federais e um Procurador da República (MPF), totalizando vinte e quatro pessoas da equipe federal na embarcação, juntamente com a equipe da Operação Justiça Rápida – OJR (juíza de direito, defensor público, promotor de justiça e servidores). Durante a jornada de trabalho, a Justiça Estadual oferecerá serviços odontológicos e médicos às pessoas das comunidades visitadas e das adjacentes.

Calendário de atendimento do Juizado Especial Federal no Baixo-Madeira:

Dia 28/11 – início da viagem, as 14h
Dia 29/11 – Demarcação (se o nível da água subir)
Dia 30/11 – Calama
Dia 01/12 – Calama
Dia 02/12 – Papagaios e Conceição do Galera
Dia 03/12 – Santa Catarina e Tira Fogo
Dia 04/12 – Nazaré
Dia 05/12 – Cavalcante e Terra Caída
Dia 06/12 – São Carlos – Encerramento com a participação da desembargadora federal Gilda Maria Carneiro
07/12 – Retorno a Porto Velho

Inpe detecta aumento do desmate da Amazônia entre agosto e outubro



O Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe) divulgou, nessa sexta-feira (28), os dados de desmatamento da Amazônia Legal do sistema Deter para os meses de agosto, setembro e outubro.
No período, foram detectados alertas de desmatamento por corte raso (derrubada total) e por degradação florestal (destruição parcial) que somam 1.924 km², um índice 117% maior que no mesmo trimestre de 2013, quando foram detectados 886 km².
O Inpe ressalta que o Deter é voltado a orientar a fiscalização em campo para coibir o desmatamento ilegal, não para a medição precisa de área, já que é feito com imagens de satélite de resolução moderada e tem sempre uma margem de falsos positivos (veja mais abaixo os diferentes tipos de monitoramento da floresta amazônica).
O Inpe estima que dos dos quase 2 mil km² de alertas, uma área de 856 km² de desmatamento por corte raso, 1.000 km² de áreas sejam de degradação florestal, e 68 km² sejam de falsos positivos.
Mato Grosso foi o estado com mais alertas de desmatamento entre agosto e outubro, com 729,09 km². O Pará foi o segundo, 514,72 km².

Diferenças entre sistemas

Existem diferentes sistemas de monitoramento do desmatamento da Amazônia. Todos eles são feitos por técnicos que observam imagens de satélite seguindo distintas metodologias. O Deter (Detecção de Desmatamento em Tempo Real) é produzido mensalmente pelo Inpe e, como é mais rápido, não se destina a medir áreas, mas detectar focos de derrubadas de floresta para que as autoridades sejam acionadas a tempo.
Na quarta-feira, o governo havia apresentado o dado anual de desmatamento, do sistema Prodes (Projeto de Monitoramento do Desmatamento na Amazônia Legal), que indicava redução de 18% entre agosto de 2013 e julho de 2014 em relação ao período anterior.
As informações do Prodes representam o índice oficial de desmatamento do governo federal. Segundo ele, o bioma perdeu 4.848 km² de vegetação em um ano.
Um outro sistema, chamado SAD, é feito pelo Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), de Belém, também mensalmente, mas, por ser de uma ONG, não é reconhecido pelo governo. Os números desses três sistemas, por serem gerados com métodos distintos, não podem ser comparados entre si.
Em outubro, a ONG havia divulgado tendência de crescimento no desmate em levantamento independente. Segundo a organização, ficou constatada alta de 191% no desflorestamento em agosto e setembro de 2014, em relação ao bimestre de 2013.

SEEB-RO em campanha para captar recursos para o Hospital do Câncer



Dirigentes do Sindicato dos Bancários e Trabalhadores do Ramo Financeiro de Rondônia (SEEB-RO) participaram, na tarde de quinta-feira, 27/11, no auditório da agência Madeira-Mamoré da Caixa, da palestra “Construindo o Hospital do Câncer em Porto Velho”, ministrada por Raissa Marques, gerente de captação do HC.
No encontro Raissa detalhou aos convidados como o projeto de construção do maior hospital de referência no tratamento do câncer na Amazônia está sendo efetivado, especialmente por meio da captação de doações, a exemplo do que acontece com o projeto “Recarga do Amor”.
O “Recarga do Amor” é executado em parceria com empresas e sindicato, e o SEEB-RO aderiu à campanha e, por isso, já recolhe, há mais de três meses, junto aos bancários e trabalhadores das cooperativas de crédito, doações que vão de R$ 1 a R$ 500, feitas por meio de uma máquina similar a qualquer máquina de recarga de celular.
“Continuamos visitando as agências e postos de trabalho do Estado, levando as máquinas portáteis aos funcionários para ampliar essas doações, e esperamos contar com a participação maciça para a construção deste hospital que objetiva, sobretudo, salvar muitas vidas”, detalha Clemilson Farias, diretor de Imprensa do SEEB-RO.
As máquinas estão presentes, permanentemente, também na sede do Sindicato, à rua Gonçalves Dias, 110, Centro de Porto Velho.
Quem preferir pode ligar para o número 8403-9737 (Clemilson) e solicitar a visita do diretor com a máquina de captação para fazer as doações.

PC do AM e RO desarticulam quadrilha que planejava matar delegado



A Polícia Civil do Amazonas deflagrou na manhã dessa sexta-feira (28), em parceira com a Polícia Civil de Rondônia, a maior operação contra o tráfico de drogas interestaduais na Amazônia, chamada Operação Rio Madeira.
A operação, que cumpriu 22 mandados de de prisões e 22 mandados de busca e apreensão, aprendeu vários carros e drogas e descobriu os planos de traficantes de assassinar o delegado de Humaitá, bem como outras autoridades.
A "Rio Madeira" contou com a presença de mais de 100 policiais civis do Amazonas e Rondônia, três aeronaves e um helicóptero da Polícia Civil do Amazonas, e desarticulou a maior quadrilha de traficantes dos dois Estados.
Segundo a polícia, a droga traficada saía de Porto Velho, ia até Humaitá, e de lá era distribuída até Manaus e adjacências. Foram mais de 6 meses de investigações com o Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO) da Polícia Civil do Estado do Amazonas em conjunto com a Secretaria de Segurança de Rondônia (SSP/RO).

PRF fecha mais uma etapa da Operação Sentinela com resultados positivos



A Polícia Rodoviária Federal realizou no período de 9 a 24 de novembro a Sétima etapa da Operação Sentinela de 2014. O policiamento ostensivo foi intensificado nas ultimas semanas por diversas equipes da PRF em todo o trecho ao longo das Brs 364, 319 e 317, em Rondônia, Acre e sul do Amazonas com o intuito de reduzir a criminalidade da região.
Rondônia possuí aproximadamente 1.342km de faixa de fronteira com a Bolívia e o Acre , 618km com o mesmo país e ainda cerca de 1.430km com o Peru. Ambos os estados possuem grande bacia hidrográfica e uma densa floresta tropical que ao mesmo tempo facilita as ações de criminosos e dificultam a repressão aos crimes.
As artimanhas utilizadas pelos criminosos no intuito de burlar a lei e conseguir efetuar atos nefastos a sociedade são os mais variados. Vão desde a cooptação de pessoas simples da comunidade conhecidas por mulas, a formas mais complexas para acobertar o transporte dos ilícitos. Como exemplo: veículos contendo mecanismos que acionam compartimentos ocultos no interior do veículo, onde podem esconder drogas, cartões clonados, contrabandos, etc. Diante dos fatos, para conseguir flagrantear os ilícitos os policiais precisam cada vez mais contar com a astúcia e o profissionalismo no combate ao crime.

BALANÇO DOS RESULTADOS DA OPERAÇÃO SENTINELA

Período: 09 a 24 de novembro de 2014.

OCORRÊNCIA
QUANT.
Veículos Fiscalizados:
2.490
Pessoas Fiscalizadas:
3.838
Veículos Recuperados:
04
CNHs falsificadas
02
CNH recolhida
01
Pessoas Presas
21


APREENSÕES

Cocaína (grama)
30.000
Maconha (grama)
7.000


Armas (unid.)
03
Munições (unid.)
23


CONTRABANDO E DESCAMINHO

Cigarros (maços)
1.090
Mercadorias Diversas
16.897


CRIME TRIBUTARIO

Farinha de mandioca (quilos)
6.700
Diversos (gramas)
7000


Libertação do Trabalho Escravo( ação integrada com MPT e MTE no Acre).
15 pessoas


Total de Presos
21 pessoas

Vacinação contra pólio e sarampo será estendida até 12 de dezembro



A Campanha Nacional de Vacinação contra poliomielite e sarampo será prorrogada até o dia 12 dezembro. Com o final previsto para esta sexta-feira (28), a campanha não atingiu a meta de vacinar 95% do público-alvo e o Ministério da Saúde decidiu orientar estados e municípios para que continuem a vacinação.
A ação iniciada em 8 de novembro já vacinou 9,5 milhões de crianças contra a poliomielite, o que representa 74,8% da meta estabelecida. Contra o sarampo, 7,3 milhões de crianças já receberam a dose, cerca de 66,9% do público-alvo.
O objetivo é imunizar 12,7 milhões de crianças contra a poliomielite e 10,6 milhões de crianças contra o sarampo. Para isso, mais de 100 mil postos fixos e móveis em todo o país estarão disponíveis para aplicar as doses. Devem tomar a vacina contra a poliomielite as crianças entre seis meses e cinco anos de idade incompletos. O objetivo é manter a erradicação da doença no Brasil, que não apresenta casos de poliomielite desde 1990. Para isso, o Ministério disponibilizou mais de 17,8 milhões de doses da VOP (Vacina Oral Poliomielite).
A recomendação é que todas as crianças na faixa etária sejam vacinadas contra a poliomielite, pois a vacina oral vale tanto para colocar em dia a vacinação atrasada como para reforço de quem está com o calendário em dia. A VIP (Vacina Inativada Poliomielite), utilizada no início de esquema de vacinação, também estará disponível para crianças com o calendário atrasado, ou seja, que não iniciaram o esquema de vacinação com as duas primeiras doses injetáveis, aos dois e quatro meses de idade.
Já a vacinação contra o sarampo será feita em crianças entre um e cinco anos de idade (incompletos). Cerca de 10 milhões de crianças devem ser vacinadas com a tríplice viral. Foram distribuídas mais de 11,8 milhões de doses da vacina, que além de imunizar contra o sarampo, também garante a proteção contra a rubéola e a caxumba.

Alergia

Para as crianças com alergia à proteína do leite de vaca, a vacinação ocorrerá posteriormente contra o sarampo. O Ministério da Saúde já orientou as secretarias estaduais e municipais de saúde que evitem vacinar essas crianças com o produto fornecido pelo laboratório Serum Institutte of India Ltd. A iniciativa é uma medida de precaução, devido à presença do componente lactoalbumina hidrolisada nas doses fornecidas pelo laboratório.
Para garantir a vacinação correta, os pais ou responsáveis que levarem as crianças aos postos de saúde serão questionados sobre uma possível alergia ao leite de vaca. Caso a criança não tenha registro prévio de alergia, ela receberá a dose normalmente.
Todos os estados e o Distrito Federal participam da campanha de seguimento contra o sarampo. No estado do Ceará e em alguns municípios de Pernambuco, a vacinação foi antecipada a fim de interromper a cadeia de transmissão do vírus, devido ao registro de casos da doença em 2013 e 2014.
Vale destacar que, apesar dos registros nesses dois estados, todos os casos foram importados ou relacionados à importação e o Brasil ainda é considerado livre do sarampo. No entanto, as crianças entre seis meses e cinco anos de idade incompletos que residem nesses estados devem comparecer aos postos de saúde para receberem a vacina contra poliomielite e atualizar a caderneta de vacinação para o sarampo, caso estejam em atraso.
A Campanha Nacional de Vacinação conta com a participação de mais de 350 mil profissionais de saúde e de 42 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais, para garantir a vacinação aos locais de difícil acesso. Vale ressaltar que, para garantir que o esquema básico seja cumprido, as vacinas contra a poliomielite, o sarampo, rubéola e caxumba continuam disponíveis durante todo o ano nos postos de saúde do Sistema Único de Saúde.

Poliomelite

A poliomielite é uma doença infectocontagiosa grave e a única forma de prevenção é por meio da vacinação. Na maioria dos casos, a criança não vai a óbito quando infectada, mas adquire sérias lesões que afetam o sistema nervoso, provocando paralisia irreversível, principalmente nos membros inferiores. A doença é causada pelo poliovírus e a infecção se dá, principalmente, por via oral.
Embora, atualmente, o Brasil esteja livre da paralisia infantil, é fundamental a continuidade das campanhas de vacinação, para evitar a reintrodução do vírus no país. De acordo com dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), 10 países registraram casos de poliomielite em 2013 e 2014, sendo que três deles são considerados endêmicos (Paquistão, Nigéria e Afeganistão).

Sarampo

O sarampo é uma doença viral aguda grave e altamente contagiosa. Os sintomas mais comuns são febre alta, tosse, manchas avermelhadas, coriza e conjuntivite. A transmissão ocorre de pessoa a pessoa, por meio de secreções expelidas pelo doente ao tossir, falar ou respirar. As complicações infecciosas contribuem para a gravidade do sarampo, particularmente em crianças desnutridas e menores de um ano de idade. A única forma de prevenção também é por meio da vacina.
Os últimos registros de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados ou relacionados à importação, com concentração nos estados de Pernambuco e Ceará. No mundo, em 2014, foram registrados 160 mil casos da doença, de acordo com a OMS. Cabe ressaltar que, com o fluxo de turismo e comércio entre os países, o risco de importação do vírus é maior, por isso a importância da imunização.

Mulher de 58 anos é presa por furtar produtos de higiene em Porto Velho



Uma senhora de 58 anos foi presa na tarde desta sexta-feira (28), ao ser flagrada furtando itens de higiene em uma loja de departamentos localizada na Avenida Carlos Gomes, região central de Porto Velho. Entre os produtos apreendidos estavam sabonetes, creme dental, absorventes e um frasco de adoçante.
Segundo o boletim de ocorrência, a polícia foi acionada e ao chegar ao local encontrou a mulher detida em um compartimento da loja, após ter sido flagrada pelo circuito de câmeras furtando os objetos. Segundo funcionários do estabelecimento, não seria a primeira vez que a senhora furta a loja.
De acordo com a polícia, os funcionários mantiveram guarda pelo circuito interno até flagrarem a senhora saindo da loja sem efetuar o pagamento. Diante das circunstâncias, a mulher foi presa e encaminhada para a Central de Flagrantes da capital.

Moacyr Franco faz show em prol do Hospital de Câncer de Cacoal



Para ajudar no tratamento contra o câncer oferecido no Hospital São Daniel Comboni, em Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, o artista Moacyr Franco fará um show  neste sábado (29), a partir das 21h, no Cacoal Selva Park. Toda a renda arrecadada será  revertida para o hospital.
De acordo com uma das organizadoras do evento Bella Borghi, o show terá duração de duas horas e contará com uma programação diversificada. Bella afirma ainda que as pessoas que adquirirem os ingressos, além de contribuir com o tratamento do câncer, também terão a oportunidade de passar momentos agradáveis e acompanhar um belo espetáculo.
"O Moacyr além de ser cantor, também é um ótimo humorista. Durante o show, o artista irá interagir com o público", contou a organizadora.
As mesas com quatro lugares estão sendo vendidas a R$ 300 e podem ser adquiridas na Avenida Porto Velho, número 2105, Bairro Centro. A expectativa dos organizadores é que mais de 500 pessoas prestigiem o evento.

Maior árvore de Natal do estado é inaugurada em Ariquemes



De longe, ela é destaque em meio à cidade, e de perto impressiona pela altura. A maior árvore de Natal de Rondônia foi inaugurada nesta sexta-feira (28), em Ariquemes (RO), município distante cerca de 200 quilômetros de Porto Velho. Segundo a Associação Comercial e Industrial do município (Acia), a árvore tem 53 metros de altura, iluminada com mais de cinco mil metros de mangueiras com lâmpadas de LED.
Um show pirotécnico marcou a inauguração da árvore, que contou ainda com a presença de mais de cinco mil pessoas na Praça da Vitória, região central de Ariquemes. Quem fez questão de prestigiar o ascender das luzes foi a caixa Priscila Cristina Barros, de 21 anos. Ela levou a filha, Ana Eloísa, de 3 anos, para compartilhar o momento que, para ela, é especial.
“Com a inauguração da árvore, parece que o clima de natal tomou conta das pessoas, é muito lindo, e dá uma sensação boa no coração, de paz”, comentou.
De acordo com o presidente da Acia, Antônio Custódio, tanto a árvore quanto a iluminação natalina da cidade, é uma parceria entre a Associação e a prefeitura do município. Segundo ele, foram gastos na decoração, mais de R$ 160 mil. “A decoração é pra deixar a cidade bonita, atrair visitantes, e claro fomentar o comércio”, disse. Toda a ornamentação natalina no município, inclusive a árvore, ficarão expostos até o dia 6 de janeiro de 2015.

Estudante de letras lança livro de contos e crônicas em Vilhena



Na noite desta sexta-feira (28), lançado o livro “Para ler enquanto espera: Entre Artigos & Crônicas” do autor Nill Cruz, em Vilhena (RO). O lançamento acontece no saguão da Universidade Federal de Rondônia (Unir), Campus de Vilhena, a partir das 19h. O livro traz contos e crônicas de temáticas variadas.
Nill conta que a paixão pela escrita começou desde pequeno, após ler um texto de Cecília Meireles, e a partir de então começou a escrever poesias. O primeiro livro escrito pelo autor levou cerca de cinco anos para ser publicado. “A dificuldade que eu tive era para escolher os textos certos, e eu também não conhecia nada sobre o processo de publicação”, conta.
Acostumado com os textos de poesia, Nill conta que a maior dificuldade que enfrentou até agora foi ao escrever o romance “Depois de ontem... Um novo amanhecer”. “Foi um processo meio árduo por atravessar da poesia para a prosa. Escrevi e reescrevi por cinco anos até encontrar a história certa.”, diz.
Nill é professor de música e estudante de letras. Os livros publicados são: Poemas do meu canto (1994), Fragmentos líricos (1995), Depois de ontem... Um novo amanhecer (2013), além do conto “Yes, o começo é um sim”, publicado no livro Conte uma canção (2013).

Trecho da BR-364 que desmoronou é liberado após 8 meses em Cacoal



O trecho da BR-364 em Cacoal (RO), que desmoronou em março deste ano, teve as duas pistas liberadas para o tráfego na quinta-feira (27). As obras foram inicidas no mês de julho, quatro meses depois do incidente. O Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit) informou que o problema foi causado pelas chuvas intensas ocorridas na época. A obra custou aos cofres públicos mais de R$ 4 milhões.
Segundo o supervisor regional do Dnit Nilson Machado, as galerias foram aumentadas para dar maior vazão às águas do riacho que corta a rodovia. "As etapa estruturais de asfaltamento foram concluídas e todos os testes foram realizados. Falta agora à sinalização vertical e horizontal. Ficaremos observando para que não tenha nenhum problema com a estrutura", certifica Nilson.
De acordo com o supervisor, a pista feita na lateral foi interditada e os bueiros que haviam sido colocados no desvio para o escoamento da água serão retirados. "Nós teremos que retirar esses bueiros para que o fluxo do rio não seja interrompido. Iremos manter a estrutura do desvio, para que em uma necessidade futura, como duplicação da BR, a rodovia possa ser utilizada", explica Nilson.

Homem é preso por mostrar partes íntimas na rua em Porto Velho



Um homem de 45 anos foi preso após mostrar as partes genitais a duas mulheres, no Bairro Jardim Santana, Zona Leste de Porto Velho. O fato aconteceu na tarde desta sexta-feira (28) e, de acordo com o boletim de ocorrência, após cometer o ato obsceno, ele ainda ameaçou as vítimas com xingamentos.
De acordo com a polícia, o homem teria reclamado que a situação se deu porque a filha de uma das vítimas não gosta dele. O boletim de ocorrência também aponta que o homem estaria embriagado. Diante das circunstâncias, ele foi preso e encaminhado à Central de Frlagrantes da capital.

Marginais e túneis de ponte recebem pavimentação em Ji-Paraná



Marginal da BR-364 e túneis na ponte do Rio Machado estão recebendo pavimentação em Ji-Paraná (RO), cidade distante 370 quilômetros de Porto Velho. A obra é realizada pela prefeitura, através da Secretaria Municipal de Obras e Serviços Públicos (Semosp). Segundo um dos engenheiros responsáveis, a finalização das obras depende das chuvas, mas deve ser entregue até o fim de dezembro.
As obras começaram há mais de um mês, e teriam prazo final para entrega até o fim de novembro. O período chuvoso atrapalhou o andamento da obra, estendendo este prazo, conforme a Semosp. Moradores confirmam que a paralisação do trabalho foi ocasionado pelas chuvas.
Segundo o engenheiro da Semosp, Adelmo Apolinário, além do problema com as chuvas,  a falta de equipamento e material também afetou o calendário da obra. “Estávamos aguardando a chegada do material para retomar aos trabalhos. A previsão é que se finalize até o fim de dezembro, mas dependemos da chuva agora”, explica.

Protesto

Em maio deste ano, moradores do Bairro Duque de Caxias utilizaram um outdoor para reivindicar soluções para o problema no local. A moradora Cléia Santos Raposo registrou e denunciou o caso através das redes sociais. Ela diz que a opção de utilizar um outdoor para chamar a atenção veio após terem recorrido às autoridades e não terem obtido qualquer resposta.

Laboratório de Guajará-Mirim deve aumentar atendimentos em dezembro



O laboratório do Hospital Regional do Perpétuo Socorro em Guajará-Mirim (RO), município a cerca de 330 km de Porto Velho, deve começar a atender todos os pacientes a partir de dezembro. Por falta de funcionários, a unidade vem atendendo 20 pacientes diários há um mês. Uma nova diretora foi contratada e ela garante que deve expandir a demanda.
Após um teste seletivo, a prefeitura contratou a biomédica Grace Barros para assumir o posto de diretora do laboratório. Ainda se inteirando do cargo, ela garante que com organização, dentro de poucos dias o laboratório atenderá toda a população. "Haverá mudanças na quantidade de agendamentos. A proposta é aumentar para 50 e até 100 fichas diárias, aos poucos e de acordo com a demanda", afirma a biomédica.
A unidade recebeu equipamentos novos em julho deste ano e por falta de funcionários do quadro, poucas fichas de atendimento eram disponibilizadas para a população. Com capacidade de atender 300 exames por hora, as máquinas modernas ficavam paradas por falta de servidores para operar.
Atendendo indígenas, presidiários e internos a média de atendimento é de até 60 pacientes, incluindo as 20 fichas ofertadas aos pacientes externos. O número é baixo e alguns pacientes não conseguem ser atendidos. "No início vamos organizar o laboratório e capacitar o grupo para dar uma qualidade melhor aos pacientes", completa Grace Barros.

Galeria de concreto substitui ponte incendiada em Ariquemes



Galerias com estrutura de concreto e tubulação de PVC substituíram uma ponte de madeira, localizada na Linha C-65, em Ariquemes (RO), município distante cerca de 200 quilômetros de Porto Velho. Um incêndio destruiu parcialmente a ponte no dia 16 de agosto deste ano. A Secretaria Municipal de Obras e Serviços Púbicos (Semosp) informou que a construção da nova estrutura foi concluída nesta semana, mais de três meses após o incidente. A obra custou mais de R$ 150 mil aos cofres do município.
O aposentado Manoel Coelho, de 70 anos, reside numa propriedade rural localizada na Linha C-65. Para ele, a obra deve resolver o problema de imediato, mas em longo prazo, acredita que o aterro feito não deve suportar a intensidade das chuvas e desabar. A dona de casa Sônia dos Santos Carvalho, de 32 anos, também disse que a estrutura não é adequada. “O ideal seria se estrutura completa fosse de concreto, para então resolver a situação de uma vez”, disse Sônia.
O secretário da Semosp, Ricardo Sales, garantiu que o trabalho feito no local é ideal para sanar o problema. “A nova ponte foi feita com drenagem e aterro no local. Sabemos que o fluxo de veículos é intenso, pelo fato de existirem muitas propriedades naquela linha, mas acreditamos que a nova ponte deve suportar a demanda”,disse o secretário.

O incêndio

No dia 16 de agosto deste ano, a ponte de madeira foi parcialmente destruída pelo fogo. Na época, populares informaram que aconteceu uma manifestação no local, e que os manifestantes atearam fogo na ponte. No entanto, quando os bombeiros chegaram para controlar as chamas, não havia ninguém. A corporação informou ainda que não soube o motivo da possível manifestação e nem quem eram os integrantes, mas afirmou que o incêndio foi criminoso. Uma estrutura provisória foi construída no local, no final do mês de agosto, até a construção da ponte definitiva, finalizada esta semana.

Bebê que nasceu com dois pênis e dois ânus é submetido a cirurgia em Campina Grande



O bebê que nasceu com mal formação (dois pênis e dois ânus) na Maternidade do Instituto Elpídio de Almeida (Isea), em Campina Grande, foi submetido a uma colostomia, no Hospital da Clipsi. Os dois ânus são  imperfuráveis e, por isso, urinava por um pênis e defecava pelo outro.
A cirurgia consistiu na realização de uma abertura na parede abdominal para a eliminação de fezes e gases. O recém-nascido voltou à UTI Neonatal da Clipsi, onde permanecerá em observação. Os procedimentos para corrigir as anomalias só deverão ocorrer após a recuperação.A colostomia foi realizada por uma equipe de cirurgiões pediátricos coordenados pelo médico Gonzalo de Sá.
A diretora-geral da Maternidade do Isea e médica da Clipsi, Marta Albuquerque, explicou que o bebê fez várias radiografias e ultrassonografias antes da cirurgia, para identificar com precisão quais são suas malformações. As primeiras informações da UTI pediátrica foram de que ele saiu da sala de cirurgia instável, mas que este é um quadro comum quando bebês se submetem a cirurgia, mas que ainda era cedo para emitir uma avaliação

Aos 251 anos Romaria da Penha pode bater um recorde com 400 mil fiéis



Em 251 anos, a edição 2014 da Romaria da Penha, com um percurso de 14 quilômetros e início previsto para 22h deste sábado (29), chega com a expectativa de ser a maior já realizada. As estimativas apontam para a participação de 400 mil pessoas durante o trajeto.
Desde 1763, católicos de João Pessoa e de várias partes do estado repetem as demonstrações de fé e aproveitam a devoção para pagar promessa à santa padroeira do vilarejo de pescadores, na praia que leva o seu nome.
No ano passado, foram 12 trios elétricos espalhados pelo percurso. Este ano serão 14, o que dá uma média de um por cada quilômetro da romaria. Eles vão ajudar na animação espiritual. Os grupos devem seguir um repertório de músicas dedicadas à Nossa Senhora e são instruídos a colaborar na oração dos romeiros.
A Romaria da Penha passa por oito avenidas, ruas e trevos. Os romeiros saem da Igreja de Lourdes, que fica no bairro de Jaguaribe, passando pelas avenidas João Machado, Pedro II, segue pelo Trevo Universitário, principal do bairro dos Bancários, Trevo de Mangabeira e pela pista que dá acesso à Praia da Penha até chegar à Praça Oswaldo Pessoa.
A Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP), por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano, estará com um esquema especial na Romaria da Penha. Cerca de 60 agentes de controle urbano estarão fiscalizando a venda de bebidas alcoólicas.
Nesta sexta-feira (28), foi feita toda marcação dos locais que os comerciantes informais vão ocupar na Praia da Penha. Ao todo, a Secretaria de Desenvolvimento Urbano selecionou 113 ambulantes.
Para os comerciantes que utilizarão gás de cozinha, é necessário o certificado do Corpo de Bombeiros. Já nas barracas instaladas ao longo do percurso, será obrigatório o uso de extintores de incêndio. “Estamos tomando todos os cuidados necessários para não ocorrer nenhum tipo de incidente durante a Romaria da Penha”, ressaltou Almeida.

Segurança

Este ano, a segurança será feita por 620 policiais militares, 60 policiais civis e 126 bombeiros, de acordo com o plano integrado definido pela Secretaria da Segurança Pública e da Defesa Social do Estado.
Reponsável pelo policiamente ostensivo, a Polícia Militar vai dispor de 42 viaturas, 30 motos e 20 cavalos. Duas viaturas equipadas com câmeras vão monitorar o percurso. Também serão montados Pontos de Observação Policial (POP).
Além do atendimento nas delegacias de plantão, a Polícia Civil vai atuar de forma descaracterizada a fim de identificar situações pontuais que possam causar problemas.
O Corpo de Bombeiros vai dispor de 15 viaturas de atendimento pré-hospitalar e de prevenção e combate a incêndio, além de bote inflável, com equipamento de salvamento aquático, que será colocado na Praia da Penha para a prevenção de afogamentos. Além disso, 12 militares com extintores de incêndio vão ficar no ponto onde ocorre a tradicional queima de velas.

Guarda Municipal

De acordo com o secretário da Segurança Urbana e Cidadania (Semusb), Geraldo Amorim, o efetivo vai ser distribuído ao longo do percurso. “Nossa função é cuidar do patrimônio público e atuar no trabalho de prevenção a violência. Além disso, estaremos auxiliando na fiscalização do Ministério Público que proibiu a venda e o consumo de bebida alcoólica”, disse.

Limpeza

A Autarquia Especial Municipal de Limpeza Urbana (Emlur) designou 200 agentes para executar os serviços de manutenção das vias que compõem o percurso da romaria, como varrição e pintura de meio-fio. Equipes também vão limpar as ruas após a caminhada.

Mobilidade

O esquema de mobilidade, elaborado pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana de João Pessoa (Semob), contará com o apoio de cerca de 100 agentes, divididos em três turnos. Agentes de trânsito, no entanto, ameaçam paralisar trabalho em protesto pelo cumprimento de dispositivos do Plano de Cargos, Carreiras e Remuneração.
O plano de segurança também terá o apoio do Batalhão de Policiamento de Trânsito (BPTran) e do Departamento Estadual de Trânsito da Paraíba (Detran), além da Polícia Rodoviária Federal.
A PRF orienta que aqueles que forem trafegar pela BR 230, na região do viaduto da Cidade Universitária (trevo universitário), em João Pessoa, na noite deste sábado (29), tenham cautela redobrada por conta dos fechamentos das alças do viaduto nos dois sentidos. Estas vias dão acesso à Avenida Dom Pedro II, que estará interditada para receber a procissão.
As alças permanecerão fechadas das 20h até a dispersão dos romeiros, por volta da meia-noite. Os acessos à BR 230 através da avenida Dom Pedro II serão fechados pela Secretaria Executiva de Mobilidade Urbana nos mesmos horários.
Os romeiros não poderão usar as alças de acesso à BR 230, tampouco a própria rodovia, como meio de atalho. Estes deverão seguir, necessariamente, pela própria avenida Dom Pedro II até o destino final (Praça Oswaldo Pessoa). A PRF manterá reforço no policiamento e na fiscalização, disponibilizando várias viaturas durante o evento. 

Saúde

O Hospital de Trauma de João Pessoa preparou um esquema especial de atendimento. Um serviço móvel de atendimento de emergência do próprio Hospital ficará à disposição dos romeiros durante todo o percurso.
A iniciativa conta com a parceria do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Voluntários a serviço da Cruz Vermelha vão estar entre os fiéis com mochilas equipadas com material de primeiros socorros para atendimento a quem necessitar.

Ambulantes

A Secretaria de Desenvolvimento Urbano de João Pessoa (Sedurb) disponibilizou 200 vagas a vendedores informais, que vão se instalar em diferentes pontos da Capital ao longo dos quase 14 quilômetros de percurso.