sábado, 30 de maio de 2015

EDITORAL: CONTRA A FORÇA DO HÁBITO



A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) abriu consulta pública para obter sugestões da população para a regulamentação das advertências inseridas nos maços de cigarros. O objetivo é informar as pessoas dos riscos do tabagismo. A medida está prevista na legislação que estabelece a obrigatoriedade da advertência como parte da política de redução do tabagismo no País. Esse tipo de advertência ocupa 30% da parte frontal de todas as embalagens dos derivados do tabaco usados na forma de fumo.
Nos últimos anos, cada vez mais as organizações de saúde mundiais têm feito esforços para educar as populações das consequências advindas do consumo do tabaco. Para isso utilizam estratégias que pretendem controlar o consumo, tais como aumento do preço, campanhas nos meios de comunicação social, advertências nos maços de tabaco, restrições no marketing do tabaco e a criação de ambientes fechados livres de tabaco.
O cigarro industrializado se disseminou pela Europa e pelas Américas, especialmente a partir da Primeira Guerra Mundial. A publicidade associava-o a um hábito elegante e sofisticado de viver e, dependendo do contexto, a uma forma de inserção social. Era comum, em filmes e novelas, cenas em que os galãs e as mocinhas davam baforadas com muito charme.
Entretanto, nas últimas décadas, o tabagismo passou a ser considerado um problema de saúde pública. Especialistas estimam que, atualmente, morrem por ano cinco milhões de pessoas por causa do tabaco. Se o padrão de consumo não se reverter, em 2030, morrerão dez milhões por ano, dos quais sete milhões no mundo pobre e três milhões no mundo rico.
A saída é um programa educacional em âmbito nacional que leve a mensagem e uma campanha mundial contra o tabagismo. Pode-se proibir fumar nos locais de trabalho ou diversão, mas não se pode proibir que o indivíduo fume em casa. Por isso, a saída é elaborar um programa nacional de educação. Nenhuma lei é aplicável se não tiver base educacional e nenhum programa educacional funciona se não contar com o amparo da lei. Legislação e educação constituem duas instâncias que devem andar juntas.
É preciso conscientizar a sociedade de que fumar é um ato nocivo e antissocial. Faz mal a quem fuma e a quem convive com o fumante.

Homem de 45 anos é morto a facadas após sair de bar em Cabixi



Um homem de 45 anos foi morto a facadas na noite de quinta-feira (28) em frente a um bar, em Cabixi (RO), região do Cone Sul. Segundo a Polícia Militar, após o estabelecimento comercial ser fechado, a vítima teria saído com outro homem para a rua, momento em que acabou sendo esfaqueado no pescoço e no rosto.
Ainda conforme o boletim de ocorrência, o dono do bar teria ouvido a vítima pedindo por socorro e, ao ir até a frente do estabelecimento, encontrou o homem caído no chão. Uma ambulância foi acionada, mas quando a equipe médica chegou no local a vítima já estava morta.
Após o homicídio, o dono de outro bar em Cabixi informou que dias antes a vítima e o suspeito haviam se desentendido, mas populares separaram a briga. A PM efetuou diligências pelas ruas da cidade, mas ninguém foi preso.
O caso foi registrado na Delegacia de Polícia Civil de Colorado do Oeste (RO), onde será investigado.

Cresce número de produtores que não declararam vacinação em Cacoal



O número de produtores rurais de Cacoal (RO) que deixou de declarar a vacinação do rebanho contra a aftosa cresceu este ano, se comparado à campanha passada. Segundo a Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia (Idaron), 18 produtores não entregaram a declaração. Já na campanha passada, apenas nove não informaram. Rondônia é livre da Aftosa há 16 anos.
O prazo para comunicar ao Idaron a vacinação contra a febre aftosa, em Rondônia, encerrou no último dia 22, e agora esses produtores que não declararam, de acordo com a veterinária da Idaron, Dâmaris de Oliveira, serão autuados com a cobrança de multa no valor de R$ 138,07, por cabeça não vacinada. “Agora estamos notificado produtores que não declararam para que esclareçam os motivos de não terem feito a declaração. Quem ainda não vacinou o rebanho será obrigado a imunizá-lo”, esclarece a veterinária.
Nessa campanha foram vacinados animais de até dois anos de idade. A próxima campanha contra a febre aftosa começa em outubro e animais de todas as idades devem ser imunizados. A veterinária do Idaron alerta que a aftosa é doença que se espalha muito rápido e o impacto econômico dela é muito grande.
“O produtor que deixa de vacinar seus animais, coloca em risco não só o rebanho dele, mas de toda região, causando assim um grande prejuízo para a economia de todo o estado que é baseada no agronegócio”, aponta.

Vendas em feira atendem expectativa de expositores de mel e vinho em Rondônia



Dois dias após a abertura da 4ª edição da Rondônia Rural Show, em Ji-Paraná (RO), município distante 374 quilômetros de Porto Velho, produtores rurais e comerciantes dizem que as vendas na feira de agronegócio está correspondendo às expectativas. Segundo o expositor Virgilio Filho, devido à distribuição de amostras grátis dos produtos no evento, alguns itens já estão com o estoque esgotado.
Morador de Vilhena (RO), Virgilio afirma estar participando pela terceira vez da feira de agronegócio, que teve início na quarta-feira (27). “É muito importante vir até Ji-Paraná com meus produtos, pois divulgo o trabalho de toda região do Cone Sul. A cada ano que venho, sinto uma melhora na estrutura e vejo todo mundo vendendo bem”, destaca. Vendendo mel na 4° Rondônia Rural Show, o apicultor afirma que uma das vantagens do evento é a oportunidade de continuar fazendo negócios mesmo após o fim da exposição.
Virgílio conta que desde 2013, quando começou a expor mel na Rondônia Rural Show, sempre vendeu todo o estoque. “Todos nós das agroindústrias tentamos trazer o produto mais puro possível. Outra coisa boa na feira é relação direta entre produtor e cliente. Eu sempre vou embora com muitas encomendas, minhas vendas não acabam com a feira”, contou.
De acordo com os expositores do Programa de Verticalização da Produção Agropecuária (Prove), com sede em Vilhena, 42 agroindústrias do município estão participando da feira em Ji-Paraná. Entre os produtos expostos pelos agricultores de Vilhena estão queijos, iogurtes, embutidos de carne e mel.
O comerciante de vinhos Francisco Redante está em Ji-Paraná há 27 anos e participa da Rondônia Rural Show desde a primeira edição. Segundo o empresário, os vinhos vendidos no estande  são fabricados em Bento Gonçalves (RS). “Exponho vinhos que são feitos com uvas cultivadas pela minha família e fabricados numa cooperativa familiar na serra gaúcha”, afirma.
Segundo Francisco, os vinhos expostos são de sucos de uva sem conservantes. A imprensa, o expositor afirma estar gostando desta primeira experiência na feira de agronegócio. “Além de fechar boas encomendas e vender bastante aqui, revejo amigos e velhos conhecidos, a feira é ótima por muitos motivos”, ressaltou.
A Rondônia Rural Show teve início na quarta-feira (27) e segue até o sábado (30) no Parque de Exposições Hermínio Victorelli, rua T-20 (portão de entrada), e aberta ao público de 7h30 às 18h.

Trânsito é desviado em via de Cacoal após acidente entre carro e motoneta



Duas mulheres se envolveram em um acidente de trânsito em Cacoal (RO), município a 480 quilômetros de Porto Velho, entre a Avenida Belo Horizonte e Rua Luther King. A colisão ocorreu  por volta das 11h30 desta sexta-feira (29). De acordo com o soldado da Policia Militar, Eldimar Alexandre, o choque entre o carro e a motoneta resultou em uma das mulheres tendo que ser levada para o pronto socorro com dores nos joelhos.
“A pilota da motoneta estava trafegando na Avenida Belo Horizonte, que é preferencial, quando a motorista do veículo gol atravessou, causando o acidente. Foi preciso desviar o trânsito, para preservar o local do acidente até a chegada da pericia”, explicou o policial.
De acordo com a motorista do carro que não quis se identificar, ela invadiu a preferencial, pois apesar de ter olhado para todos os lados, não viu a motoqueira que se chocou na lateral do carro. Com o impacto o pneu do veículo estourou e partes da motoneta ficaram grudadas no carro.
“É importante que as pessoas tenham mais cuidado no trânsito, principalmente no horário de almoço, onde todos estão correndo para chegar em casa e o trânsito fica ainda mais complicado e perigoso”, alertou o policial.