sexta-feira, 31 de julho de 2015

Falso médico rondoniense é preciso após fazer atendimentos e vender remédios



A Polícia Civil do município de Sena Madureira (AC) prendeu, nesta semana, o terapeuta Mauricio Alves, natural do estado de Rondônia. Ele estaria se passando por médico e já havia realizado várias consultas e também diversas vendas de medicamentos. O suspeito utilizava de um aparelho especializado para atestar se haviam ou não doença. A atitude do homem levantou suspeita.
Segundo o delegado Rômulo Diniz, responsável pelo caso, a máquina é nada mais do que uma haste metálica, ligada a vários eletrodos em um aparelho eletrônico com várias luzes coloridas, aonde os pacientes ao colocarem na cabeça, os eletrodos, que imprimia através do notebook o diagnóstico das doenças, sem se quer tocar no paciente, inclusive detectando doenças de próstata.
Após o resultado, o mesmo indicava o remédio que ele mesmo vendia. Alguns era apenas um pó em um recipiente fechado, anotado com papel. Além disso, não havia data de validade nos medicamentos, nem mesmo procedência ou autorização do Ministério da Saúde (MS).
Ainda de acordo com o delegado, cada consulta custava em torno de R$ 100,00. Alguns medicamentos por ele receitados custavam o mesmo valor da consulta.
“Através de nossa investigação no final da tarde de segunda feira, conseguimos prender este homem em flagrante consultando pessoas que residem na zona rural, e após ser preso estava em seu poder uma quantia de quatro mil reais, além de comprovantes de deposito que Mauricio já havia feito em um dos bancos da cidade, além de um gol que usava para transporta os medicamentos e também o aparelho milagroso.

Família perdeu R$ 3 mil reais

A aposentada Joana de Souza, de 74 anos de idade, que mora no bairro Cristo Libertador, também foi vítima do falso médico. De acordo com ela, mais de cinco pessoas da mesma casa estiveram se consultando com o falso médico que passou uns remédios com gosto de fumaça e um pó, que não serviram de nada. Eles pagaram entre consulta e medicamentos mais de R$ 3 mil reais.
O suposto médico ainda falou para os pacientes da mesma família que teriam que retornarem na próxima vez que ele viesse a Sena Madureira, para ver como estava os problemas, e caso não tivesse melhorado iria medicar outros remédios.

Nenhum comentário:

Postar um comentário