terça-feira, 21 de junho de 2016

Projeto gera renda para 44 catadores no São João de Campina Grande

Um grupo formado por 44 catadores de materiais recicláveis de Campina Grande, no Agreste paraibano, está fazendo a coleta seletiva no Parque do Povo, durante o Maior São João do Mundo. São recolhidos todos os tipos de materiais que podem ser reaproveitados. Nos dias de maior movimentos no local da festa, os catadores chegam a juntar 2 toneladas de materiais.

Os catadores são membros de cinco cooperativas diferentes que atuam em Campina Grande. Os materiais são recolhidos durante a noite e madrugada.

“Toda noite eu venho às 18h e meu marido vem me pegar às 3h30”, disse a catadora Adeise da Silva. Ainda de acordo com a catadora, as pessoas colaboram com a coleta e sempre respeitam os catadores. “Por onde a gente passa, eles abrem espaço e pegam os materiais pra gente”, disse ela.

Mesmo com o trabalho pesado, os catadores ainda aproveitam um pouco do forró no Parque do Povo. “Eu trabalho e danço também. É no clima do São João”, disse Maria Francileide da Silva. Depois de recolhido, o material é levado para um caminhão, que fica em uma rua lateral ao Parque do Povo.

No início da manhã o veículo leva todos os materiais para a sede da cooperativa, onde outra equipe de catadores fica responsável pela divisão. Depois os materiais são prensados e armazenados. “No fim do mês tudo é vendido e o dinheiro separado para todos, por igual. São 44 catadores”, frisou a presidente da cooperativa Dilvanira Melo.

De acordo com o Secretário e Ciência, Tecnologia e Inovação de Campina Grande, Cassiano Pascoal, a iniciativa visou potencializar a capacidade de coleta dos catadores e evitar a exploração infantil. “Nós percebemos a quantidade de crianças que eram usadas por seus pais para catar resíduos sólidos recicláveis. Então nós pensamos numa forma de fazer com que o trabalho infantil fosse diminuído e os catadores formais pudessem ter mais chance dentro do Parque do Povo”, disse ele.

Os comerciantes do Parque do Povo também são orientados a separar os materiais para a passagem dos catadores. “Nós orientamos todos os comerciantes para separar o que é reciclável e o que não é, para o que o Recicla São João possa recolher e levar. O acumulo de lixo é menor, pois eles estão sempre passando”, disse o comerciante Lucinei Cavalcanti.

Nenhum comentário:

Postar um comentário